27 de novembro de 2008

Sidequest #19 - Meme

O que é um meme?

Para a blogosfera, a palavra "meme" significa um post que se multiplica por vários blogs, sendo que cada blogueiro personaliza da sua maneira (por exemplo: um blogueiro vota em 5 blogs e estes votados têm que votar em 5 blogs favoritos cada um). Ou seja, a criação de memes já é tendência. E o meme virou, ironicamente, o maior meme de todos.

Em outras palavras, é uma grande corrente entre blogs para que haja uma divulgação legal dos endereços e pra aumentar o pagerank. Devo admitir que não curto correntes, mas essa é por uma causa mto boa.

Cada Meme tem uma série de regrinhas para que as pessoas repitam em seus blogs o que aconteceu. Cada um modifica as regras ao seu gosto e posta, passando-as assim para o próximo a participar. O VMOES do Minas Morgul me convidou, então eu estou repassando.


As regras são as seguintes:

  1. Link a pessoa que te pegou;
  2. Poste as regras em seu blog;
  3. Escreva 6 coisas aleatórias sobre você;
  4. Pegue mais 6 pessoas e coloque os links no final do post;
  5. Deixe a pessoa saber que você o pegou, deixando um comentário no blog dela;
  6. Deixe os pêgos saberem quando você publicar seu post.
  7. A regra variante, diga o que você gosta de fazer em horas vagas (estou realmente sem criatividade hoje)

Como as regras 1, 2 e 5 já foram cumpridas, aí vão as outras:

3 - Sou uma pessoa que compra coisas por impulso, quando estou em fase que gosto de algo, eu acabo comprando coisas que tenham relação com o vício.

Eu amo minha namorada demais! Isso é um fato que eu gostaria de deixar claro aqui ^^

Gosto de todo tipo de música, desde que agrade meus ouvidos. Não tenho preconceito em relação a nenhum cantor/cantora/banda, embora eu sempre prefira vocais femininos(por questão de gosto mesmo)

Coleciono livros de AD&D, embora tenha realmente poucos. Gosto tanto dos que tenho que considero todos eles minhas relíquias.

Coleciono video-games. Sempre que posso, compro um para a minha coleção, com seus jogos mais famosos quase sempre originais. Ironicamente, não tenho tempo pra jogar nenhum deles.

Pra terminar, acho o livro de Senhor dos Anéis mto embromação, podia ter um pouco mais de ação e um pouco menos de descrição de coisas.

7 - Eu curto fazer tudo, embora eu costume jogar video game ou ficar no MSN mesmo.

1 e 4 -

26 de novembro de 2008

Sidequest #18 - Council of Wyrms

By Mizita (A.K.A. Michie Porca)

Council of Wyrms é uma caixa de Dungeons & Dragons que inclui regras para se jogar com dragões, meio-dragões e servos de dragões. Na caixa trás três livros para serem bem aproveitados: Um para as regras básicas, outro para histórias das Famílias e Clãs de dragões e o último é um módulo com várias aventuras. Em 1999, ela foi severamente revisada e reimpressa em um livro de capa dura.

O cenário para a campanha se dá em um arquipélago de ilhas chamadas Io's Blood Island Chain (ou Arquipélago do Sangue de Io). Cada uma destas ilhas possui um fator climático forte e são separadas do resto do mundo por um vasto oceano.

O sistema de governo dos dragões é descrito como uma democracia meio EUA, onde tudo passa por um conselho onde cada líder de clã dá um voto e o líder dá o voto final no caso de empate. Assim, todos os dragões cooperam entre si, tomando decisões que proporcionem o bem-estar de todos.

Humanos não são nativos nas ilhas, e aqueles que pisam em qualquer lugar do arquipélago normalmente são caçadores de dragões. É desnecessário dizer que dificilmente algum deles sai vivo de lá.

De acordo com a mitologia dracônica descrita no livro de clãs, as ilhas foram criadas pelo grande deus dracônico conhecido como Io. Vendo suas crianças dracônicas envolvidos em uma Guerra, ele bradou: "Se o sangue dracônico precisa ser derramado, então que seja o meu". Então ele rasgou sua barriga com as próprias garras e derramou seu sangue pelos oceanos. O sangue divino se solidificou e se tornou um arquipélago. Io então deu estas ilhas aos dragões, esperando que eles vivessem lá em paz.


-----------------------------------


Olá pessoas! Depois de ler esse texto vcs devem estar se perguntando: "E daí?". Pois bem, eu responderei a você: "Eu vou mestrar isso aí!". Preciso de bravos guerreiros que tenham interesse em interpretar dragões em uma sociedade inteira deles. Preciso de jogadores valentes o suficiente para aguentar a parada inteira.

Será que tem alguem por aí?

21 de novembro de 2008

Mini Cenários #2 - Blutigen Fluch e a Rainha dos Vampiros


Olá pessoal! Estou eu aqui, depois de um tempinho sem postar, para liberar mais um mini-cenário pra quem quiser ler. Passei um tempinho off por causa das provas de fim de semestre(que por sinal ainda não acabaram, mas como estou com notas boas, dá pra relaxar um pouco).

O cenário que vou descrever hoje me veio à mente depois que vi um post em outro blog de RPG, o Castle& Dragons, de um membro lá da SpellRPG. No referido post, o autor relata uma raça nova de meio-vampiros que habitam um mundo inventado por ele e utilizado em sua mesa de jogo. Gostei muito da idéia e decidi fazer algo inspirado. Talvez algumas pessoas identifiquem elementos do jogo Soul Reaver, mas eu vou tentar ao máximo tornar o cenário algo que tenha mais idéias minhas do que idéias aleatórias arrumadas( Tormenta? ).

História



Tudo começa quando Hiekka Redmarks, o grande herói anão de Blutigen Fluch, acompanhado de seu grupo encontra um templo abandonado nas Montanhas Vermelhas. Depois de algumas horas de exploração, o grupo acabou por encontrar uma sala secreta onde estava guardado um grande baú feito totalmente de prata. Encantados com a possibilidade de riquezas, Hiekka e seu grupo carregaram o baú até a cidade de Runyhome.

Depois de fazer um exame mais detalhado,Loitsunia, a maga do grupo, afirmou que era seguro que todos abrissem e verificassem o tesouro que haviam encontrado. Porém, mal sabia Hiekka que sua amiga estava sendo controlada pelo que estava dentro da grande caixa de prata. Ao abrirem a urna, os aventureiros viram três grandes luzes que brilhavam intensamente na sala em que estavam. As luzes então começaram a sugar a energia vital do grupo de aventureiros, que permaneciam estaticamente perplexos diante de tudo o que acontecia. Antes de perder a consciencia e eventualmente morrer, Hiekko pôde ver uma bela mulher em um longo e bonito vestido saindo da luz e tomando sua mão.

---

Verynia olhou para os lados e teve a impressão de ainda estar aprisionada, impressão esta que passou rápido quando o vento bateu em seu rosto, fazendo voar suavemente seus cabelos. Quando moveu sua visão adiante, percebeu cinco pequenas criaturas que lembravam as fadas de seu tempo, porém, não tinha certeza do que eram, pois duas delas eram pequenas demais. Estava faminta, precisava de um pouco de vida para poder andar pelas terras escuras. Alimentou-se das pobres criaturas sem nenhum dó.

Tinha o mundo inteiro pela frente para explorar e comandar, porém, não poderia fazer isso sozinha, precisava da ajuda de suas irmãs. Verynia então reuniu alguns escravos, utilizando sua ganância e seus poderes malignos para torná-los bonecos animados sob seu controle total. Alguns meses de trabalho e busca intensa e ela já havia encontrado e reunido as duas urnas onde repousavam os cadáveres de suas queridas irmãs.

A mulher então tratou de preparar o ritual macabro que traria as duas rainhas vampíricas de volta à vida em sua forma plena de poder.

---

Verynia, a Rainha dos Vampiros, e suas irmãs malditas haviam sido trancadas em urnas seladas para evitar que sua maldade se espalhasse por Blutigen Fluch. Porém, acidentalmente, a pior de todas havia sido libertada por aventureiros descuidados. Uma vez livre, Verynia procurou suas irmãs para que mais uma vez pudessem espalhar a maldade através das terras habitadas.

Infelizmente, algo deu errado para a Rainha dos Vampiros, enquanto aprisionada, ela permaneceu adormecida para evitar que o restante de seu poder se dissipasse e ela acabasse morrendo. Por outro lado, suas irmãs concentraram o restante de seus poderes para desenvolver seus corpos e se tornarem criaturas superiores. Ao serem revividas por Verynia, as irmãs Ayania e Mylenia estavam diferentes. Muito mais poderosas do que sua irmã mais velha. Ayania havia criado logas e majestosas asas e suas garras estavam mais afiadas do que nunca. Mylenia tinha agora um par de chifres místicos que aumentavam seus poderes mágicos, e sua pele estava tão resistente que agora ela podia andar sob a luz do sol escaldante sem sofrer nada.



Tomada pela inveja, Verynia arrancou as asas de Ayania e a pele de Mylenia, que apesar de estarem mais poderosas, ainda precisavam se alimentar para recuperar seus poderes plenos. As duas irmãs foram então deixadas para morrer no meio do Deserto de Fogo para morrerem e nunca mais foram vistas.Verynia então usou as asas e a pele em um ritual macabro para tornar-se mais poderosa e poder governar sozinha.

Vendo tudo isto e insatisfeito com o que estava acontecendo, Pelor, o deus do Sol, interviu pessoalmente quase matou Verynia. A rainha conseguiu escapar graças a um portal que levava a uma dimensão onde deuses não poderiam entrar(Ou Sigil, caso vc use elementos de planescape). Nesta dimensão, a rainha encontrou uma criatura misteriosa que lhe ensinou uma poderosa magia que era capaz de criar seres vivos a partir de matéria inanimada.

Decidida a reunir poder antes de retornar a Blutigen Fluch, Verynia criou seres que batizou de Bloodyans. Eram seres que partilhavam de sua natureza vampírica, porém, com menos restrições e menos poderes. A rainha então usaria estes seres como seus escravos e soldados para poder tomar o controle e desafiar o deus que a humilhou.

Os Bloodyans foram então enviados às terras de Blutigen Fluch para adquirirem poder e conhecimento, antes de retornar e servir sua rainha no plano de dominação do mundo.

Personalidades importantes


Vardania - É conhecido entre as raças inteligentes como 'Príncipe Negro'. É um Bloodyan guerreiro muito poderoso e comanda um reino conhecido como Terra de Vardania, ou simplesmente Vardania, tamanho é o seu ego. Não é muito ligado à missão de sua raça e, para ele, a história de Verynia é apenas uma lenda contada por velhos Bloodyans para explicar sua maldição de dependência de energia vital dos seres vivos.

Allienni - Uma bloodyan que comanda a maior escola de magia do mundo. Dizem as lendas que ela conhece a Rainha dos Vampiros pessoalmente e que sua escola guarda um grande segredo do retorno de Verynia. Especula-se que seja uma magia capaz de abrir um portal para a dimensão onde os deuses não podem entrar(Sigil) ou então um grande artefato mágico que torna os vampiros verdadeiros capazes de andar sob o sol.

Ulfgar Von Blaster - Um famoso caçador de bruxas anão. Ele devotou sua vida inteira a caçar e matar bloodyans e outros undeads. Depois de um tempo, sua presença passou a ser temida por todos os undeads inteligentes, que passaram a tramar formas de destruí-lo. Nunca obtiveram sucesso nessa empreitada. Hoje, ele é um senhor de idade e abriu uma Escola onde ensina jovens aventureiros algumas técnicas de combate contra monstros específicos.


Considerações Finais

Blutigen Fluch é um cenário com o clima dark de Ravenloft, misturado à fantasia medieval padrão de Mystara, sendo mais voltado para aventuras curtas do que para campanhas inteiras. A maioria das histórias se passará em alguma vila, onde os PCs deverão tentar resolver algum mistério que envolva algum Bloodyan ou outro undead poderoso. O outro lado também pode ser explorado onde, por exemplo, os PCs podem ser Bloodyans tentando trazer de volta os dias de glória de sua rainha ou caçando os membros infiéis de sua raça.

Recomendo que não sejam usadas outras raças além de Humanos e Anões, pois acredito que perderia um pouco o clima do cenário de raças oprimidas por forças sobrenaturais. Elfos, com um pouco de trabalho, podem ser encaixados de alguma forma como aliados ou rivais dos bloodyans, tendo em vista a sua afinidade com a magia.

A maioria dos aventureiros trabalhará como mercenário, pois este é um cenário onde pessoas boazinhas não teriam muita motivação além de caçar monstros ou livrar o mundo da rainha do mal. A raça dos Bloodyans pode ser usada tando com personagens bondosos quanto malignos, embora a segunda opção seja mais frequente.

Acho que por hoje é só. Espero que tenham gostado ou que pelo menos tenham tido algumas idéias para incrementar seus próprios cenários.
Abraços a todos e desejem-me sorte no vestibular =D

See ya! o/

6 de novembro de 2008

Mini Cenários #1 - Dragon Quest - Dai no Daibouken


Olá pessoal! Estou tentando fazer com que este velho e parado blog não morra. Tentarei fazer pelo menos 1 post por semana com pelo menos algumas palavras minhas sobre experiências RPGísticas. Pois bem, vamos aos trabalhos!

Estava aqui em casa, sem mta coisa pra fazer em uma véspera de semana de provas( T.T ) e pensei em postar mais um review, afinal, este é um blog cujo objetivo inicial era fazer reviews de livros e aventuras prontas de RPG. Mudei de idéia. Muitas vezes converso com minha amada Mizita e ela tenta me estimular a produzir material escrito. Ela diz que tenho muita criatividade e que preciso exercitar. Não sei se é algum problema de modéstia excessiva ou falta de confiança, o fato é que nunca gosto do que escrevo, por isso, peço opiniões. Sempre acho que estou fazendo um grande clichê ou algo totalmente sem noção.

Foi aí que mandei tudo isso pro inferno e decidi escrever idéias absurdas aqui neste blog em forma de mini cenários que, se em um futuro longínquo eu decidir desenvolver, estarão resumidos em algum lugar. Vou tentar postar assim que minha criatividade colaborar comigo.

Pra começar, vou usar um cenário que me inspirou em muitas brincadeiras durante a infância(e também em muitas aventuras), que é inspirado em Dragon Quest - Dai no Daibouken, ou simplesmente Fly - O pequeno guerreiro.

Eu peguei algumas idéias do anime e tentei usar com alguma liberdade criativa(entenda como "mudar coisas que eu não gostava) em aventuras antigas de D&D(no tempo em que personagens de aventuras minhas toravam cabeças de dragão no segundo nível). A primeira experiência não deu certo, porém, agora com um pouco mais de maturidade eu acho que dá pra fazer algo mais legal. Então... Vamos começar!

------------------------------------------------------------------------------------------------------



História

A história do cenário começa quando o reino de terror do Grande Rei Demônio Hadler acabou. O grande herói espadachim conhecido como Avan, acompanhado por seus amigos Loca (um outro poderoso guerreiro), Leyra (uma clériga especializada em magias de cura) e Matoriv (um mago cuja especialidade eram magias de fogo) derrotou Hadler em uma grande batalha conhecida como "A Batalha dos Reis". Até que a paz reinou sobre os reinos durante aproximadamente dez anos.

Após a derrota do Rei Demônio, todos os monstros ficaram livres da força conhecida como "Evil Will", que é responsável por tornar boas criaturas em máquinas assassinas. Isto não fez com que a apreensão das pessoas ficasse menor diante daquelas criaturas que um dia foram ameaças mortais. Então, o grande herói Avan reuniu todos os monstros bondosos e levou-os a uma ilha que foi batizada de Ilha Demlin.

Brass, um velho monstro com alguma inteligência, foi incumbido pessoalmente por Avan a vigiar a ilha e protegê-la de todo o mal. O grande herói passou 1 ano ensinando a Brass várias técnicas de espada e magia para que pudesse exercer sua função com sucesso.

Dez anos então se passam e mais uma vez o mundo se depara com a ameaça de Hadler. O Lorde Demônio conhecido como Vearn usou poderes mágicos e ressuscitou seu Rei. Porém, desta vez, o corpo de Hadler estava muito mais poderoso, além de poder ser revivido indefinidamente por Vearn, graças à sua magia demoníaca.

Mais uma vez, então, o Rei Demônio ameaça a terra, liderando seus muitos exércitos por todo o mundo e acabando com a tão apreciada paz.

Personalidades Importantes


Hadlar - É o Rei Demônio que ameaça a paz no mundo. Foi revivido por um de seus comparsas, Vearn, e desta vez está mais poderoso e praticamente imortal. Pretende usar seu novo poder para se vingar de Avan e instaurar novamente o seu reino de maldade sobre o mundo.

Habita o local conhecido como Continente da Morte e possui uma grande armada pessoal de demônios muito poderosos. Depois de ter sido revivido por Vearn, está reunindo novamente seus generais para obter o controle do mundo.

Avan - É o grande herói que salvou o mundo uma vez. Seu nome completo é Avan de Ziniur III e tem atualmente 41 anos de idade. É um grande mestre espadachim e conhece diversas técnicas e mágicas que utilizou para destruir o Rei Demônio. Teve alguns discípulos durante sua vida, dentre os quais, destacaram-se o jovem Dai, o mago Pop, a garota Maam e o príncipe de Holkia conhecido como Hyunckel.

Vearn - É o general do Exército das Sombras. Estima-se que é a criatura mais antiga de todo o Planeta. Possui grandes poderes mágicos e seus planos são desconhecidos até mesmo pelo Rei Demônio.

Exércitos do Mal

A - Exército das Cem Bestas - Animais, Plantas, Insetos Gigantes, etc - Liderados pelo Homem-Fera conhecido como Crocodini. Ameaça o reino de Lomoss com diversos ataques de feras malígnas.

B - Exército das Sombras - Guerreiros Undead, Aparições, Sombras e Fantasmas - Liderados por Vearn, tenta obter o controle de um terço do continente de Kildmein.

C - Exército dos Feiticeiros - Druidas, Magos Malignos, Feiticeiros Malignos e Spellcasters em Geral - Divide com Vearn e Balan o continente de Kildmein. Ataca os dois reinos mais fracos do continente: Teran e Bengaana. É liderado por Saboella, um velho feiticeiro que vendeu sua alma ao Rei demônio em troca de poder mágico; ainda assim é o mais fraco dos generais.

D - Exército dos Mortos-Vivos - Esqueletos, Zumbis e Mortos-Vivos em geral - É liderado pelo antigo aprendiz de Avan conhecido como Hyunckel. Ao completar 16 anos, o príncipe de Holkia foi sequestrado por Vearn e sofreu uma lavagem cerebral. Sobre o comando do Exército dos Mortos-Vivos, destruiu o reino de Papnika. A então princesa conhecida como Leona foi dada como desaparecida desde o ataque.

E - Exército dos Super Dragões - Dragões Cromáticos, Criaturas Dracônicas e Magos Dracônicos - Durante a época de Paz, o reino de Lingaia foi conhecido como "Reino Fortaleza". Porém, quando enfrentou o exército mais poderoso de Hadler, caiu em apenas uma semana. Seu líder é Balan, um meio-dragão com grandes poderes demoníacos obtidos por meio de Hadler.

Balan nem sempre foi maligno. Sua esposa e seu filho foram mortos por um ser misterioso e, tomado pela fúria, jurou lealdade ao Rei Demônio em troca de poder. O que Balan não sabe é que o ser que matou sua mulher e filho foi o próprio Hadler.

F - Exército dos Demônios de Fogo e Gelo - Salamandras, Mephits e criaturas temáticas de fogo e gelo (doh) - Liderados pelo demônio conhecido como Flazzard (Pronuncia-se Fleizarde). Foi criado através de uma Magia Proibida usada por Hadler. Assim como seu nome (Flame + Blizzard) seu corpo é a fusão de Fogo e Gelo. Controla grandes poderes elementais de fogo e gelo e se importa apenas com a glória e a vitória nas batalhas.

Provavelmente este comportamento é causado pelo fato de Flazzard ter sido criado a partir de mágica, e não ter nascido como qualquer outro ser vivo. Graças a seu temperamento, ele não mede esforços para chegar ao seu objetivo (a vitória), sem se importar com lutas limpas ou métodos lícitos.

Considerações Finais


O cenário segue o velho estilo Senhor dos Anéis, onde o mal impera sobre todos e os heróis são apenas uma ponta de esperança. Não é um cenário de fantasia medieval comum. As raças inteligentes são os Humanos e os Demônios, que não são necessariamente malignos.

Os humanos não são tão oprimidos quanto se esperaria em um cenário onde o mal impera. Os reinos possuem grandes e poderosos exércitos que conseguem fazer frente a algumas armadas demoníacas.

A profissão de "Herói Aventureiro" é algo muito valorizada entre todos os povos. Um Herói normalmente é condecorado pelo reino com tesouro e uma grande festa depois de um ato de bravura. O único porém é que os Heróis costumam ser mortos primeiro pelos exércitos malignos, tendo suas cabeças penduradas em estandartes grotescos para que sirvam como exemplo.

Enfim, este é um cenário que eu mestrava há muito tempo (eu tinha entre 10 e 12 anos, portanto, dêem um desconto), quando comecei a jogar RPG. Se alguém gostar de alguma coisa, comenta aí. Dêem sujestões e idéias. Quem sabe não podemos transformá-lo em algo legal de se jogar.


Por hoje é só pessoal!

See ya o/

2 de novembro de 2008

Sidequest #16 - O fim de uma era

É triste, mas os grupos de RPG acabam. A maioria deles acaba por falta de narrador, o meu acabou por falta de jogadores.

Primeiro saiu Ivanildo, que nunca sabíamos se jogava ou se vinha apenas para observar. Depois saiu Bruno por pressão da namorada e do outro grupo que possuía. Em seguida a debandada em massa. Evandro saiu porque queria atuar no teatro, Lucas e Renato pois possuiam outro grupo ao qual se dedicavam. Por fim, eu saí pois não havia como continuar com apenas três pessoas.

Não foi por falta de tentativas. Recrutei jogadores nos lugares onde poderia fazê-lo, mas nada encontrei. Minha última cartada foi o Encontro de RPG do Bob's que rolou ontem(mesmo dia em que o Timbú venceu o Derrota da Bahia por 1x0). Nada.

Hoje eu me recolhi à minha insignificância de narrador sem jogadores e fui jogar na mesa de Lucas. Morri pateticamente na primeira sessão. Depois disso, percebi mais uma vez o quanto é bom ser narrador.

O plano agora é dividir o grupo com Lucas, voltando a mestrar outra vez para os sobreviventes do grupo e quem sabe alguma cara nova. Seria um bom retorno para um mestre frustado, não é?

Espero que sim...

See ya o/